Estamos nas Redes

AMAZONAS

Sem licitar, Seduc faz contratos de R$23 milhões

Publicado

em

Em maio, a gestão do ex-secretário Luis Fabian Barbosa decretou inexigibilidade de licitação para comprar livros pelo valor total de R$ 2.092.248.


Manaus – Apenas em oito meses de 2021, a gestão do ex-secretário de Estado de Educação Luís Fabian Barbosa contratou, sem licitação, serviços e produtos que totalizam R$ 23,6 milhões. Os contratos foram firmados por meio de dispensa de licitação ou ainda por inexigibilidade de licitação, segundo dados disponíveis no Portal da Transparência em dados verificados entre janeiro e julho deste ano.

O assunto foi destaque ontem no programa AMAZONAS DIÁRIO, do GRUPO DIÁRIO DE COMUNICAÇÃO (GDC), transmitido pela RECORD NEWS MANAUS apresentado por Renê Marcelo. O programa é transmitido a partir das 17h pelo canal 27.1, na TV aberta e 78 na NET.

De acordo com o portal da Transparência, apenas para alugar imóvel, a Secretaria de Estado de Educação (Seduc) contratou R$ 656.751,96 com João Plácido Dodô referente a aluguel de imóvel de sua propriedade para acomodar as instalações físicas e administrativas da sub-unidade do Colégio Militar da Polícia Militar na Rua Afonso Pena no Centro de Manaus.

Outro contrato que chama atenção refere-se à compra de 87.177 livros da obra ‘Planeta em Harmonia’, distribuída a estudantes do 3° ao 5° ano do Ensino Fundamental Anos Iniciais e 6° ano do Ensino Fundamental Anos Finais, nas Escolas Estaduais da Rede Pública de Ensino do Amazonas, da empresa Premium da Amazônia Ltda.

O procedimento licitatório para compra dos livros foi impossibilitado de competir colocando a empresa vencedora como exclusiva para o fornecimento das obras. O valor total assinado por Luís Fabian em maio deste ano foi de R$ 2.092.248,00.

Contratos
Na última terça-feira, 12, o GDC divulgou reportagem informando que, apenas neste ano, Luís Fabian Barbosa – o ‘cara do governo’ Wilson Lima e atual secretário de Articulação Política do governo do Estado – firmou mais de R$ 400 milhões em contratos na pandemia quando comandou a Secretário de Estado de Educação e Qualidade de Ensino (Seduc).

Os gastos de Fabian na gestão da Seduc foram realizados para o pagamento de vários tipos de serviços e aquisição de materiais. Para se ter ideia do montante gasto pelo ex-secretário, um comparativo com as despesas de outras cidades, o município de Tefé, que possui 60 mil habitantes, tem uma receita anual de R$ 55 milhões.

‘O cara do governo’ conduziu contratos milionários no período em que esteve na pasta. Somente com alimentação durante a pandemia foram mais de R$ 26 milhões.

Fonte: D24am

Continue Lendo
Publicidade